terça-feira, 2 de junho de 2015

"Água Viva" é lançada em DVD




     Moda, praia, windsurf... esses foram alguns dos elementos da cultura carioca explorados em “Água Viva”, novela da década de 80 que se tornou um retrato dos costumes da vida à beira-mar no Rio de Janeiro. A trama que marcou uma geração por abordar temas que ainda são polêmicos – como liberdade sexual, drogas e topless – está de volta, agora em DVD. O lançamento conta com 11 discos e 33 horas de duração.

     A novela se passa numa época de transformações políticas e econômicas no Brasil, que se refletiam, principalmente, na vida dos jovens. A trama gira em torno de Maria Helena (Isabela Garcia), uma pequena órfã que descobre o paradeiro de seu pai, Nelson (Reginaldo Faria), um playboy, amante do mar, irmão do famoso cirurgião plástico Miguel Fragonard (Raul Cortez).

     Paralelamente desenrola-se a história de Lígia (Betty Faria), uma mulher independente e “descasada”, que cria sozinha os dois filhos pequenos e luta para manter seu status de classe média. Ela se apaixona por Nelson, mas tenta se esquecer deste amor, já que ele é o oposto do tipo de homem que sempre procurou. Termina, então, por se envolver com Miguel, sem saber que os dois são irmãos.

     Clássico de Gilberto Braga com colaboração de Manoel Carlos, “Água Viva” traz grandes nomes da teledramaturgia, como Glória Pires, Betty Faria, Tônia Carrero, Lucélia Santos, Ângela Leal, Fábio Júnior, José Lewgoy, Natália do Valle, Kadu Moliterno e Beatriz Segall, que deu vida à Lourdes Mesquita, sua primeira vilã na televisão, bem antes da inesquecível Odete Roitman de “Vale Tudo”.


sábado, 4 de abril de 2015

Decidido: "Cambalacho" substituirá "Pedra Sobre Pedra" no Viva


      Após apostar em reprises de novelas dos anos 90, o Canal Viva resolveu voltar a investir nas tramas da década de 80. A partir de agosto, "Cambalacho" substitui "Pedra Sobre Pedra" na faixa das 14 horas. A novela de Sílvio de Abreu estava concorrendo com outra trama do autor, "Sassaricando" (1987).

     Com direção de Jorge Fernando, cuja parceria com o autor Silvio de Abreu rendeu grandes sucessos nos anos 80 e 90, "Cambalacho" foi exibida originalmente no horário das sete, entre 10 de março a 04 de outubro de 1986, substituindo "Ti Ti Ti" e sendo substituída por "Hipertensão" . 

     A boa repercussão e o sucesso da novela popularizou a expressão "cambalacho" no país e garantiu uma reprise no Vale a Pena Ver de Novo em 1991, substituindo "Top Model" e sendo substituída por "Fera Radical". Ganhou também uma exibição compactada em 10 capítulos no quadro "Novelão" do Vídeo Show, entre 17 e 28 de setembro de 2012, substituindo "Direito de Amar" e sendo substituída por "Dancin' Days".

domingo, 22 de março de 2015

Substituta de "Pedra Sobre Pedra" no Viva pode ser "Cambalacho" ou "Sassaricando"


      Segundo informações da colunista do Jornal O Globo, Patrícia Kogut, o Viva tem duas opções de novela para substituir "Pedra Sobre Pedra". No pareo estão "Cambalacho" (1986) e "Sassaricando" (1987). As duas tramas foram escritas por Silvio de Abreu e dirigidas por Jorge Fernando. A decisão depende apenas da liberação dos direitos, pela Globo.

domingo, 15 de março de 2015

Direção de "Império" foi o maior destaque da novela


     
     Não sou muito fã das novelas do Aguinaldo Silva. As únicas que assisti e gostei até hoje foram: "Vale Tudo" (em parceria com Gilberto Braga e Leonor Basséres), "A Indomada", "Senhora do Destino" e "Tieta". 

     Quando "Império" começou a ser produzida, fiquei bastante animado. Aguinaldo Silva finalmente se livrou da péssima direção de Wolf Maya em suas novelas e escolheu Rogério Gomes para o novo projeto. E realmente, a nova novela do Aguinaldo ficou muito melhor nas mãos do novo diretor. Fazia tempo que não via uma novela das nove tão bem produzida.

     Papinha, como Rogério é popularmente conhecido, dirigiu grandes sucessos na Globo, como "Beleza Pura" (2008), "Paraíso" (2009), "Escrito nas Estrelas" (2010) e "Morde & Assopra" (2011). Todas elas tiveram produção de qualidade e direção segura.

     Apesar da excelente direção e bom elenco, "Império" ficou muito longe de ser uma boa novela. Pra começar, a trama demorou a engrenar e a cair no gosto do público com uma história arrastada e que não chegava a lugar nenhum. E da metade para o final vieram as incoerências de roteiro. E "Império" tinha tudo pra ser a novela da década. Uma pena que tenha ficado apenas na promessa.

      Mesmo com mais defeitos do que qualidades, "Império" ficará na memória do público, devido a personagens e cenas tão marcantes. E pra mim será lembrada com a novela mais bem dirigida e produzida de Aguinaldo Silva. E com a melhor trilha sonora também!

Destaques de Império:

Melhor personagem feminino: Eliane (Vanessa Giácomo/ Malu Galli)
Melhor personagem masculino: José Alfredo (Chay Suede/Alexandre Nero)
Melhor música nacional: "Aonde Quer que eu Vá" - Os Paralamas do Sucesso
Melhor música internacional: "Somewhere Over The Rainbow" - Paula Fernandes featuring Michael Bolton.


sábado, 14 de março de 2015

Expectativas para "Babilônia"



     Finalmente "Império" acabou e "Babilônia" estreia na segunda-feira. A novela de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga tem a missão conquistar o público com uma história repleta de polêmicas e personagens pra lá de interessantes.


     "Babilônia", a nova novela das 9, gira em torno da ganância e tem como protagonistas três mulheres fortes que representam diferentes facetas do tema na babilônia carioca.

     Beatriz (Gloria Pires) é uma mulher de classe privilegiada, que tem sede de poder e sabe usar a sensualidade para conseguir o que quer. Inês (Adriana Esteves), de classe média, equilibra-se com Beatriz na falta de caráter e na facilidade para corromper, mas não tem os atributos e os privilégios da outra. Inês quer ser Beatriz, é sua amarga obsessão. Regina (Camila Pitanga) é o contraponto destas duas. De origem humilde, quer estudar e avançar na vida, uma ambição interrompida pelo assassinato de seu pai, vítima do jogo de cobiça entre Inês e Beatriz.




     Até agora dá pra perceber, pelas chamadas, que o trio de protagonistas formado por Camila Pitanga, Gloria Pires e Adriana Esteves vão arrebatar a atenção do público. Quem promete emocionar é o casal formado pelas personagens Teresa e Estela, interpretadas por Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg.

     Mas o destaque pra mim até agora é a personagem de Sophie Charlotte, Alice. Chama atenção a péssima relação entre ela e a mãe, Inês, vivida pela Adriana Esteves. Sem falar que Alice ainda cairá nas mãos do perigoso Murilo (Bruno Gagliasso). Imperdível!







     "Babilônia" tem a direção de Dennis Carvalho e estreia nesta segunda.